Mato Grosso: economia e seu desempenho

Os que moram ou possuem negócio no Estado de Mato Grosso ouvem constantemente que se trata de lugar que cresce anualmente. Sua economia é forte e se destaca na produção de grãos tendo a soja e o milho os principais produtos; pecuária sendo nesta atividade a criação de bovinos e suínos para exportação e consumo interno. Além disso, o Estado ainda tem o algodão como um dos produtos importante dentre outras diversas atividades primárias e agroindustrializadas. De fato o Estado apresenta sustentáveis índices de crescimento nas suas atividades econômicas principais.

Mato Grosso
Mapa do Estado de Mato Grosso

Certamente existem atividades importantes de apoio no Estado, que podem levar o pesquisador a interrogações sobre os níveis de desempenho que elas possuem. Dentre elas, qual a atividade, neste contexto, podemos considerar carro chefe, líder ou dominante na economia mato-grossense; qual a sua contribuição para a criação de empresas e o correspondente reflexo na renda e emprego da região?

O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística publicou recentemente análise de alguns aspectos da dinâmica da atividade econômica formal por meio de levantamento demográfico do segmento formal das empresas.

Além disso, a pesquisa contem informações sobre os movimentos de entrada e saída de empresas e principalmente sobre a sobrevivência delas e do pessoal que elas empregam. Trata-se de dados úteis para a elaboração e levantamento de importantes  questionamentos sobre o desempenho passado, atual e futuro da economia mato-grossense. Seguindo a dica do Instituto este blog analisa neste post alguns aspectos que os dados dele pode proporcionar.

Incialmente alguns questionamentos e, claro que outros mais sofisticados podem ser elaborados. Os dados são da movimentação demográfica das empresas; estão segmentados por atividades segundo a Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE 2.0 publicados para os anos de 2007, 2008 e 2009. Por isso eles podem responder e levar a outros questionamentos. Com eles podemos analisar, por exemplo, o desempenho da economia mato-grossense comparativamente ao do Brasil e da Região Centro-Oeste. E também responder questões sobre a contribuição para a geração de emprego formal bem como sobre o comportamento destas variáveis nos anos pesquisados.

Cuiabá
Cuiabá capital do Estado

Observa-se pela publicação do IBGE que as atividades Administração pública, defesa e seguridade social e Indústrias extrativas foram as únicas a reduzirem suas participações na economia, tanto em nível nacional, quanto na região centro-oeste e em Mato Grosso no período compreendido entre 2007 e 2009. Os números, no entanto, deixam dúvidas quanto a identificação das causas desta redução.

Em nível nacional as atividades envolviam 710 empresas e empregava 61512 pessoas; em 2009 havia tão somente 621 empresas que empregavam 22653 pessoas; uma redução de 12,53% na quantidade de empresas na atividade e redução de 63,20% em postos de trabalho.

Não é objetivo deste texto identificar os motivos da redução; recomenda-se aguardar publicação da pesquisa relativa ao ano de 2010 em razão de que o desempenho da atividade em 2008 não ter havido redução em relação a 2007. Provavelmente a crise mundial de 2008 afetou a atividade podendo recuperar em 2010.

Quatro atividades, no entanto chamam atenção e podem indicar a vocação futura do Estado de Mato Grosso além das suas atualmente. As Atividades profissionais, científicas e técnicas, Atividades imobiliárias, Artes, cultura, esporte e recreaçãoAtividades administrativas e serviços complementares. Se comparadas com o ano de 2007 estas atividades tiveram,  respectivamente,  incremento de 30,97% na quantidade de empresas formais estabelecidas e 63,65% em postos de trabalho formal ofertados; 30,19% na quantidade de empresas e 39,72% em postos de trabalho formal; 34,90% no número de empresas na atividade e 38,36% em postos de trabalho e 16,95% em empresas na atividade e 33,12% em postos de trabalho formal na economia regional.

Unidades empresariais e pessoal ocupado
Unidades empresariais e pessoal assalariado

Além das atividades destacadas acima as seguintes chamam atenção para o grau de crescimento que vem apresentando nos três anos da análise em Mato Grosso. A frente está a atividade Educação que apresentou crescimento de 23,84% no número unidades empresariais e 33,46% em percentagem de pessoas assalariadas; seguindo a Educação, a atividade Saúde humana e serviços sociais com incremento de 20,32% e 23,93% em unidades empresariais e pessoas ocupadas, respectivamente; atividade no fornecimento de Alojamento e Alimentação com aumento de 15,04% em empresas empregando 22,16% de pessoas a mais. A atividade Água, esgoto, gestão de resíduos e descontaminação contribuiu para o incremento 14,11% no número de unidades empresariais e contrataram 21,99% de pessoas em seus quadros.

Em números globais o Estado de Mato Grosso apresentou maior crescimento tanto em quantidade de unidades empresariais quanto em contratação de pessoas (Ver quadro acima). Detalhe animador é que as atividades que mais cresceram foram as de profissionais, científicas e técnicas. Um indicativo de que além do benefício econômico trazido pela empregabilidade formal os investimentos estão sendo conduzidos com a visão do uso do conhecimento e tecnologia que no futuro, representarão vantagem competitiva em termos da qualidade dos produtos e serviços com reflexo na produtividade das demais atividades dependentes.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s