A importância do ato de ler

Será possível o bom leitor não se transformar em bom produtor de textos?  Não. O bom leitor escreverá bons textos.  Mas o que é necessário para ser bom leitor? Paulo Freire diz que leitura não é simples decodificação da palavra, mas a interação dessa decodificação com a visão de mundo do leitor.

O processo de aquisição da leitura começa na escola, mas para Kuenzer (2002, p. 201) “ler significa em primeiro lugar, ler criticamente, o que quer dizer perder a ingenuidade diante do texto dos outros, percebendo que através de cada um há um sujeito, com uma prática histórica, uma visão de mundo (um universo de valores), uma intenção.”

Cabe à escola a tarefa de oportunizar ao estudante situações de ensino aprendizagem que contextualizem os conhecimentos que os mesmos já trazem quando chegam à escola e os que vão adquirindo com as aulas.  Cabe ao professor buscar formar o leitor crítico, usando a maior diversidade possível de textos.  Deve-se considerar também que a leitura está intimamente ligada às questões sociais, culturais e econômicas, nas quais o leitor está inserido.  Sendo assim alunos não letrados, que nunca leram um livro, não ouvem rádio, certamente apresentam dificuldades em relação ao ato de ler e compreender determinados textos, que outros estudantes expostos à ambientes onde circulam jornais, revistas, livros e a mídia não apresentam.  Aqueles alunos mostrarão dificuldades principalmente na contextualização e na relação do significado com a realidade.

Da mesma forma o aluno vindo de uma família onde existe o hábito de leitura, mesmo que esporádica e que tenha contato com jornais e revistas, terá certamente uma produção de texto diferenciada daquele aluno que não tem contato com livros.

Os últimos resultados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil (2011) sobre hábitos de leitura no país não animam nem professores e nem pais: o número de brasileiros considerados leitores diminuiu de 55% para 50% no ano passado.

Bibliografia:

NASCIMENTO, Priscila Rodrigues. Contribuições de Bakhtin para a leitura literária: instrumentalizar para desenvolver o leitor estrategista. Anais do SILEL. Volume 2. Número 2. Uberlândia: EDUFU, 2011.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s