Brasil em números chega ao 21.º volume

“Brasil em números 2013: dados e análise sobre o país”. Vigésima primeira edição de uma série anual publicada pelo IBGE desde 1992. Chega em 2013 cumprindo seu objetivo de fornecer informação sobre o país.

Os volumes anuais retratam o Brasil em seus momentos de expansão e retração econômica. Situações políticas de amadurecimento democrático, crescimento econômico e relativo índice de desenvolvimento social. Apresentam conteúdos relevantes e importantes que vão de uma breve história do Brasil às contas nacionais. Nesta edição contempla também o tema meio ambiente.

Ilustrados, contem séries estatísticas colhidas do seu próprio banco de dados; os textos são redigidos de forma a abranger os principais temas, auxiliados por tabelas, mapas, figuras e gráficos. O tema meio ambiente, dada sua relevância leva a obra anual a atender as necessidades de sustentabilidade ambiental.

Museu de Arte Moderna da Bahia (foto de Brasil em Número, IBGE)
Museu de Arte Moderna da Bahia (foto de Brasil em Número, IBGE)

O “Brasil em números” é originado do Anuário Estatístico do Brasil que está em sua quinquagésima primeira edição. É uma  publicação que sintetiza informações sobre o Brasil.

O 21.º volume conta a história do surgimento do Museu de Arte Moderna da Bahia, MAM-BA. O Solar do Unhão como é conhecido era residência do Desembargador Pedro de Unhão Castelo Branco e foi reformado em 1959 para ser sede do Museu. Abriga acervo de valor histórico recebido do Museu do Estado da Bahia, MAB, além de doações. O acervo “abrange a diversidade da produção artística da história da arte brasileira nas diversas linguagens” diz o texto do Brasil em Números.

A edição apresenta como novidade a publicação de um capítulo destinado ao Meio Ambiente e possibilita a disseminação de conhecimento em números de tema relevante para o contexto nacional e mundial. Neste tema apresenta informações importantes como as relacionadas com o comportamento e a relação entre o numero e a área de conservação federal entre os anos de 1992 a 2010, desflorestamento bruto anual na Amazônia Legal de 1991-2012, focos de calor no Brasil, na Amazônia Legal e em Unidades de Conservação, Parques e Terras Indígenas entre 2000-2012, proporção de material reciclado em atividades industriais selecionadas de 1993-2011 e internações hospitalares por doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado por 100 000 habitantes, de 1993 a 2010.

Vale a pena conferir o Volume 21 de 2013.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s